Vocabulário Mágico - Comparações, termos e definições

15 de outubro de 2018 |

Abaixo, estão as principais palavras utilizadas em Dreamian, relacionadas com magia e sua pratica geral. São as principais coisas que qualquer usuário de magia deste reino, e arredores, ou até mesmo pessoas comuns, sempre pode acabar por conhecer ou utilizar em algum ponto de seus estudos ou praticas. Ou seja, tais palavras são o mais básico ou essencial.

Magia
Termo atribuído á arte de manipular energia com o poder da nossa mente, fazendo o universo ao nosso redor atender nossas vontades e assim, modificar-se.

Energia
Forças ocultas. Também chamadas de energia cósmica ou mana. O universo é composto por energia, que pode ser manipulada de forma a atender ou influenciar inúmeros fatores. A energia é o principal principio da Magia, já que a Magia é, respectivamente, a arte de manipular essa energia.

Antiga Arte
Sinonimo da palavra Magia. Nome geralmente utilizado por velho bruxos, Sacerdotes e outros praticantes mais antigos/experientes de magia.

Feitiços
Também conhecidos por poderes Mágicos ou habilidades Mágicas, ou mais, simplesmente, poderes ou magias. É uma forma de magia criada para cumprir determinada tarefa, tal como criar uma bola de fogo para acender uma fogueira, ou controlar o vento de modo a manipular as nuvens, possibilitando um dia de sol.

Encantamentos
Nome dado aos Feitiços que atuam sobre outros seres humanos, ou criaturas, e que tem, como principio, controlar as vontades e desejos desse mesmo alguém. Os efeitos dos Encantamentos tem muito em conta as intenções dos seus próprios criadores.

Maldições
Com princípios semelhante aos Encantamentos, as Maldições tem objetivos negativos, são usadas para fazer males a alguém, manipulando e destruindo a vida dos mesmos.

Consagração
Dar uma utilidade mágica a algo ou algum objeto, torna-lho único em essência, dar-lhe uma nova energia, com propriedades dedicadas a algum fim.

Purificação
Tirar a energia/essência antiga a algo ou algum objeto, deixa-lo livre, com o objetivo, de, mais tarde, este ser alvo de consagração para novos objetivos.

Visualização
Nome dado ao ato de usar a imaginação para expressar nossos objetivos mágicos. Visualização é indispensável para o uso de magia.

Rituais
Cerimonias  mágicas, usadas para criar feitiços, encantamentos, maldições, ou qualquer outra forma de magia, mais poderosos do que o comum. Também podem ser celebrações de qualquer género, tal como veneração a divindades ou criaturas.

Invocação
Trazer energias, convidar criaturas ou divindades, para auxiliar feitiços ou rituais. A Invocação é muito utilizada na classe mágica que contem o mesmo nome, apesar de poder ser explorada e ser usada por praticamente todos os usuários de magia, de alguma forma.

Divinação
Prever o futuro, ou um grupo de possibilidades futuras.

Oferenda
Agradecer ou honrar uma criatura ou divindade, ao lhe oferecer qualquer coisa, através de um simples feitiço, cerimonia ou ritual.




LER ARTIGO COMPLETO!

InkTober 2018 - Day 3 ''Roasted'' (?)

4 de outubro de 2018 | , ,



Félix em chamas.  Não sei se encaixa com o tema ''''assado''''  , talvez encaixa indiretamente, não sei, já que as fenix nesse meu universo  quando ficam muito tempo em auto-combustão acabam '''''''assadas''''''.   Mas o que interessa é eu praticar diariamente.
LER ARTIGO COMPLETO!

InkTober 2018 - Day 2 ''Tranquil''

2 de outubro de 2018 | , ,


Valter sentado debaixo de uma árvore.
LER ARTIGO COMPLETO!

InkTober 2018 - Day 1 ''Poisonous''

2 de outubro de 2018 | , ,



Pearl produzindo venenos.
LER ARTIGO COMPLETO!

Send Me a Character - ''Entrevista'' relacionada com personagens fictícias

31 de agosto de 2018 |

Send Me a Character consiste, inicialmente, em alguém questionar a outra pessoa sobre uma determinada personagem, de qualquer universo, e essa pessoa, de forma extremamente simples e breve, dar a sua opinião em alguns detalhes e frases básicas, sobre um pouco de tudo o que pensa dessa mesma personagem. Send Me a Character é quase como se fosse um género de entrevista.

Este ''jogo'', durante algum tempo, foi comum entre diversos fãs de determinadas fandoms (principalmente Steven Universe) e apesar de não ter ganho a devida popularidade estrondosa que realmente merecia, achei um método de expressar uma opinião, extremamente interessante, além de bem subtil, e por isso, acabei por partilhar.

Existe várias versões das perguntas do jogo, e, portanto, decidi criar a minha própria versão, que consiste em 13 perguntas. É claro que cada um pode modificar, e criar sua própria versão deste jogo.

1- Primeira impressão
O que sentiu quando conheceu essa personagem pela primeira vez?

2- Impressão atual
O que sente por essa personagem atualmente?

3- Momento favorito
De tudo o que viu da personagem, e de tudo o que ela fez, o que mais gostou?

4- Momento menos apreciado
Essa personagem já agiu de alguma forma, que não gostou?

5- Frase favorita
De todas as frases que essa personagem pronunciou, qual a que mais gostou? A mais marcante?

6- Frase menos apreciada
De todas as frases que essa personagem pronunciou, qual a que menos gostou? A frase mais horrível, ou inesquecível, que não contou com nenhum impacto.

7- Roupa/Aparência favorita
De todas as formas de aparência que o corpo da personagem adotou ao longo do tempo, qual a que mais gostou?

8- Roupa/Aparência que menos gosta
De todas as formas de aparência que o corpo da personagem adotou ao longo do tempo, qual a que menos gostou? A que sentiu que não encaixou com a personagem?

9- Relacionamento favorito
A personagem interagiu com alguma personagem de um modo especifico que chamou bastante sua atenção? Quer por amizade, ódio, ou amor?

10- Relacionamento desejado
Gostava de ver a personagem interagindo mais com alguma outra personagem? Até mesmo alguma que ela ainda não conheça? Se sim, qual? E de que forma eles podiam interagir?

11- Ideia para uma história
Descreva algo que realmente gostarias de ver na personagem, algo que essa personagem fizesse em algum momento.

12- Headcanon* favorito
*Termo usado por fãs de mídias de entretenimento que indica uma crença pessoal sobre a história que não foi demonstrada oficialmente. Ou seja, algo que acontece apenas na cabeça do fã.     Fonte da definição: Dicionário inFormal

Tens algum Headcanon desta personagem? Se sim, qual o que mais aprecias? Ou, gostarias, de certa forma, ver de facto acontecer na devida série/midia a que esta personagem pertence?

13- Opinião controversa
Em geral, tens alguma opinião mais negativa sobre a personagem? Algo mais profundo que não gostes nela?



Use estas questões para alguma personagem de Dreamian, ou para analisar alguma personagem de algum outro universo de que aprecie muito. Se quiser, questione a si próprio estas mesmas questões com relação a alguma personagem de algum universo que estás a desenvolver, de modo a ajudar a corrigir certos erros neste,  ou então, simplesmente, partilhe este jogo com algum amigo.

Use como pretender. E mais importante, tenha diversão!

LER ARTIGO COMPLETO!

Praticantes de Magia - Comparações, termos e definições

20 de julho de 2018 |

Créditos: FictionChick
Bruxos, feiticeiros, magos... Geralmente, no nosso dia a dia, são palavras que se referem aos mesmos indivíduos: Pessoas que usam o poder da mente para manipular o mundo ao redor. Ou seja, os praticantes de magia.
Porém, em Dreamian, existem certas diferenças, apesar de, por vezes, também encontrar-se essa confusão em certas comunidades. Neste reino, são palavras que designam pessoas completamente distintas, com objetivos bem diferentes, entre si, tendo em conta certas ideologias ou métodos de trabalhos que cada um exerce dentro da Classe Mágica principal que optou por seguir no momento que decidiu aprender magia.


~~~~Principais grupos~~~~
Os praticantes de magia, são classificados nos seguintes grupos:

Mago

Nome dado aos guerreiros que optam por usar a antiga arte do poder da mente, somente como um método de força bruta. Estes usuários de magia geralmente estudam e praticam o suficiente para criar feitiços poderosos e aperfeiçoa-lhos cada vez e cada vez mais.
Grande parte dos Magos lutam por uma causa, protegendo algum local, entrando no exercito para combater, ou ajudar, a evitar guerras, ou até mesmo defender suas próprias ideologias, cumprir missões, e conquistar objetivos ao redor do reino.


Feiticeiro

Os Feiticeiros dedicam seu tempo a praticar feitiços simples e a estudar algum elemento do mundo ao redor, em busca de novos conhecimentos sobre a manipulação da energia cósmica em qualquer meio.
São praticantes de magia que evitam qualquer tipo de conexão com os deuses ou entidades sobrenaturais em busca de auxilio ou poder nos seus rituais e em outras gerais práticas mágicas, pois acreditam que os mesmos devem ser respeitados, mas nunca incomodados. Em Dreamian, certos Feiticeiros nem mesmo acreditam na existência de tais entidades.
Os Feiticeiros, preferem focar-se num único estudo ou área, e assim, os poderes destes, podem ter principal foco em maldições, feitiços ou encantamentos, tanto para uso pessoal como auxiliar amigos ou conhecidos.


Bruxa

Bruxas, é o nome dado aos praticantes de magia que pretendem ir mais além com suas práticas mágicas e estudos assentes no poder da mente. Ambiciosos por conhecimento, as Bruxas criam, treinam, e estudam, um pouco de tudo o que conhecem, um pouco de tudo o que encontram, ou seja, um pouco de tudo o que existe relacionado com a magia, e suas potencialidades, além do mundo ao redor.
As Bruxas geralmente tem uma grande ligação com a natureza e espiritualidade, e pretendem sempre buscar auxilio, ou uma maior ligação, a deuses e outras entidades superiores, chegando mesmo a lhes prestar extremo culto.


~~~~Títulos~~~~
Os Títulos são nomes atribuídos aos praticantes de magia que desempenham determinado papel, ou praticam magia de alguma forma bem especifica, dentro dos principais grupos.
É importante lembrar que um praticante de magia, pode contar com mais de um dos seguintes títulos.

Sacerdote

A palavra Sacerdote é um alto titulo na sociedade, simplesmente usado para designar algum praticante de magia que possui grande experiência mágica e conhecimento.
Geralmente, acabam sendo os lideres espirituais, responsáveis por guiar ou treinar os grupos em que estão incluídos, especialmente durante cerimonias, cultos religiosos ou rituais.


Curandeiro

Titulo dado a praticantes de magia que utilizam maioritariamente seus poderes e conhecimentos sobrenaturais para o bem da saúde de cada um, ou aumentar a força física ou determinação, principalmente se seus pacientes forem guerreiros.
Quanto mais poderoso for o poder de cura, ou qualquer outro feitiço do curandeiro, maior o nível de energia que o usuário mágico gasta, portanto, os curandeiros tentam manter sempre suas praticas num nível bem limitado.


Nómada Selvagem

Nome dado aos praticantes de magia que vivem, e interagem, diretamente com a natureza. Geralmente, viajam em ambientes selvagens, ou vivem solitários em bosques ou campos abertos, pernoitando longe do movimento das grandes vilas ou cidades, numa casa extremamente rural, numa tenda feita com materiais recolhidos do ambiente ao redor, ou em grutas e fendas entre altos rochedos. Vivem somente daquilo que a fauna e flora, dos locais por onde passa, lhes oferece.
Os Nómadas dedicam todo o seu tempo a proteger a natureza, e usam seus poderes para beneficiar os ecossistemas que encontram.



Os praticantes de magia
e as classes mágicas

Os grupos e títulos foram decididos pela Aliança do Pentáculo, de modo a serem imparciais o máximo possível, para acabarem, de certa forma, um bom encaixe com as classes mágicas.
Todos sabemos que em Dreamian, a forma principal como a magia em si é usada, está dividida nas classes mágicas, e, por isso, é importante realçar que os grupos e títulos são uma definição mais especifica dos próprios praticantes e seus métodos de trabalho, e não, do tipo de área em que a magia atua.

Para entender melhor o modo como a classificação dos praticantes de magia, é aplicada ás Classes Mágicas, vamos analisar o seguinte simples exemplo:


Algum Ilusionista, pode ser um Mago com o titulo de Curandeiro.
Ou seja, um individuo cujo foco com seus poderes sobrenaturais, é invocar monstros que auxiliam em combate. Geralmente, criaturas com poderes curativos, ou que podem curar as feridas, ou aumentar as habilidades dos companheiros da luta, como um mero suporte em luta.

E sim. Este sistema de definições tem diversos limites, o que em certas comunidades causa insatisfação.
A forma como alguma classe mágica é praticada, pode depender muito de determinado método de trabalho. Com esta mesma lógica, chegamos á conclusão que é improvável, por exemplo, um Necromante ser classificado como um Feiticeiro, pois, pelas palavras da classificação em grupos, os feiticeiros evitam sempre contacto direto com qualquer coisa relacionada a seres sobrenaturais, o que vai totalmente contra grande parte dos princípios da Necromancia.

Porém! Pode ser algo extremamente improvável, mas não totalmente impossível. Um Necromante, pode ser um feiticeiro, um estudioso de magia de uma única área, que, por exemplo, dedica seu tempo somente ao estudo do mundo depois da morte de alguma outra forma, sem manter muito contacto com as entidades sobrenaturais, talvez, só através da observação distante destes. Mas tal, iria limitar completamente o verdadeiro potencial da Necromancia.

LER ARTIGO COMPLETO!

Questões incomuns relacionadas com suas Personagens - Parte 2

24 de maio de 2018 |

Esta mensagem, é uma continuação e acrescento direto da seguinte publicação:

No caso, novas 40 perguntas foram adicionadas, e assim, logicamente, no total, contamos com (aproximadamente) 70 perguntas úteis para a criação e desenvolvimento de personagens!
Algumas perguntas são iguais, ou muito semelhantes ás anteriores, sendo que eu não tive paciência nem tempo para criar uma seleção e remover as que estão repetidas. Outras, no caso, a maioria, são completamente novas.

Bom proveito!
  1. Seu personagem tem irmãos ou familiares na mesma faixa etária? Com qual deles seu personagem é mais próximo?
  2. Como é o relacionamento do seu personagem com o seu próprio pai ou com a sua mãe (ou mentor)?
  3. Seu personagem já testemunhou algo que mudou sua forma de agir ou pensar em relação a alguma coisa? Em caso afirmativo, alguém mais sabe sobre isso?
  4. Em um dia normal, o que pode ser encontrado nos bolsos do seu personagem?
  5. Quais os temas ou elementos recorrentes nos sonhos e pesadelos do seu personagem?
  6. Seu personagem já disparou uma arma? Se sim, qual foi o seu primeiro alvo?
  7. O estado socio-econômico do seu personagem, ou de sua própria família, é atualmente diferente do que aquilo que era durante a sua infância?
  8. Seu personagem se sente mais confortável ao usar uma maior quantidade de roupas, ou menos roupas?
  9. Seu personagem tem medo de que género de situações?
  10. Em que tipo de situação seu personagem encontra-se, ou consegue manter-se, extremamente calmo?
  11. Seu personagem fica incomodado quando vê sangue, ou qualquer outro género de coisa? Se assim for, de que maneira?
  12. Seu personagem consegue lembrar facilmente de nomes ou das caras de outras personagens que ele encontra ao longo da sua vida?
  13. Seu personagem é mais preocupado em guardar e poupar dinheiro, ou adquirir e comprar sempre cada vez mais coisas? Por quê e por que não? E se ele passa a vida a gastar dinheiro, investe o mesmo em que género de materiais?
  14. O que seu personagem mais idealiza? Felicidade, amor ou sucesso?
  15. Qual foi o brinquedo favorito de seu personagem quando era uma criança? Qual foi o primeiro brinquedo que ele ganhou?
  16. Seu personagem tem mais tendência a admirar a sabedoria ou a ambição nos outros?
  17. Qual é o maior problema de relacionamento do seu personagem? Esse mesmo problema já destruiu relacionamentos antes?
  18. De que maneira o seu personagem se compara aos outros? Ele faz isso por uma questão de auto-validação ou autocrítica?
  19. Se algo trágico ou negativo acontecesse ao seu personagem, ele acredita que pode ter sido algo que foi sua culpa (que ele próprio causou e mereceu), ou ele acaba rapidamente em culpar os outros, alguém que direta ou indiretamente esteve envolvido no processo?
  20. O que seu personagem gosta em outras pessoas? E o que ele não gosta?
  21. Qual a rapidez que seu personagem leva para confiar em alguém?
  22. Quão rápido é seu personagem a suspeitar de outra pessoa? Isso muda se ele for próximo dessa mesma pessoa?
  23. Como seu personagem se comporta em torno de crianças?
  24. Como seu personagem normalmente lida com a ''confrontação''?
  25. Quão rápido ou lento é o seu personagem para recorrer à violência física em um confronto?
  26. O que seu personagem queria ser em adulto, ou fazer, quando criança? Esse sonho se tornou realidade?
  27. O que seu personagem acha repulsivo ou repugnante?
  28. Em que tipo de cenário seu personagem se sente confortável? E inconfortável?
  29. Em face das críticas, o seu personagem é defensivo, autodepreciativo ou disposto a melhorar?
  30. É mais provável que seu personagem continue tentando uma solução/método que não funcionou na primeira vez, insistindo sempre no mesmo, ou passe imediatamente para uma solução/método diferente?
  31. Como o seu personagem se comporta em torno de pessoas que ele gosta? E de pessoas que ele não gosta?
  32. Seu personagem está mais preocupado em defender sua honra ou em proteger seu estatuto?
  33. Seu personagem tem mais probabilidade de enfrentar um problema/ameaça ou de evitar um problema/ameaça?
  34. Seu personagem já foi mordido por um animal? Como isso aconteceu? De que forma ele ficou afetado por tal acidente, ou ele não se sentiu afetado?
  35. Como seu personagem trata os empregados de serviço?
  36. Seu personagem sente que merece ter tudo o que quer, seja material ou abstrato, ou acha que deve trabalhar para ganhar tal primeiro?
  37. O seu personagem já teve uma figura parental que não estava relacionada biologicamente a ele?
  38. Seu personagem já teve que cuidar de alguma personagem (uma criança, ou alguém que estava doente e etc) e essa mesma pessoa não tinha nenhuma relação com ele? 
  39. Quão fácil ou difícil é para o seu personagem dizer “eu amo-te”? Ele pode dizer isso sem querer?
  40. O que seu personagem acredita que acontecerá com ele depois da morte? Essa crença o assusta?

LER ARTIGO COMPLETO!

30º Questões incomuns relacionadas com suas Personagens

16 de abril de 2018 |

Sendo eu uma comum escritora, deparo-me diariamente com a dificuldade de desenvolver minhas próprias personagens... Isso é algo normal, pois, as vezes, e, diferente do que parece, não é uma tarefa totalmente fácil. Criar uma personagem leva tempo, criar uma personagem leva um bom trabalho e dedicação.

E, portanto, muitos detalhes são, muitas vezes, completamente esquecidos, pois muita coisa pode escapar do nosso próprio raciocínio. Existe muita coisa sobre nossos personagens que nem mesmo nós próprios paramos para refletir. Muita coisa sobre eles que nem sequer acabamos por conhecer.
Detalhes estes que podem até ser importantes para a personagem em si e seu desenvolvimento ao longo da história, ou até mesmo usados como motivo de  ideia inicial para uma nova trama em algum capitulo futuro.

Eu estava a vasculhar na boa e velha Internet por ideias novas, até encontrar um artigo bastante interessante que reunia 30º Questões incomuns relacionadas com o Desenvolvimento de nossas Personagens.

Para me guiar melhor com o mesmo, decidi traduzi-lho, e partilhar com os leitores, caso cada um de vocês esteja interessado em explorar um novo lado das vossas próprias personagens fictícias.
  1. Em que posição seu personagem dorme? (ou seja, de barriga para baixo, de lado, costas, etc.) Descreva os motivos de ele dormir assim.
  2. Seu personagem tem alguma característica notável? Sardas? Covinha no queixo? Uma cicatriz em algum lugar incomum?
  3. Seu personagem tem algum sotaque? Como soa a tonalidade da sua voz?
  4. Ele tem algum tique verbal? Ou seja,  se tem dificuldade em pronunciar certas palavras ou expressar claramente seus pensamentos?
  5. Quando fica nervoso, quais são as suas áreas ou comportamentos de tensão principais? Quando está sobre uma situação stressante, ele encolhe os ombros? Não para de esfregar a mão no cabelo ou a tocar em alguma área da roupa? etc.
  6. Se você fosse escolher uma música - e apenas uma música - para descrever seu personagem, qual seria e porquê?
  7. Como seu personagem se descreve a si próprio? Ele pensa que é alguém positivo? Negativo? Neutro?
  8. Seu personagem tem um bom raciocínio? Pensa rápido ou precisa de algum tempo para analisar seus pensamentos, ou a situação em que está exposto?
  9. Seu personagem lembra-se dos seus sonhos, ou suas noites são dominadas por uma escuridão vazia? Descreva um sonho que ele teve ou uma noite em que não conseguiu dormir, e, consecutivamente, o que fizera para ocupar esse seu tempo ou conseguir adormecer.
  10. Se ele tivesse que escolher,  preferia um metro ou um autocarro para transporte público?
  11. O que ele pensa sobre as origens do mundo ou universo? Ele acredita na teoria cientifica sobre a evolução do homem ou contém fieis crenças a algum Deus? Como, e qual é, a sua religião?
  12. Seu personagem é fã de determinada figura famosa? Ele quer seguir os passos de alguém conhecido? Descreva várias características pouco comuns que esse seu ídolo possui.
  13. Alguma vez, ele já foi tão sobrecarregado numa determinada tarefa ou forma de entretenimento, ao ponto de acabar cansado, farto, e ter que fazer uma pausa?
  14. Ele é alguém que prefere trabalho em equipa, ou é mais alguém para o lado solitário, preferindo assim fazer determinadas tarefas a solo?
  15. Ele consegue realizar múltiplas tarefas de uma vez, ou só consegue se concentrar em um único assunto de cada vez?
  16. Quais são suas matérias ou aulas escolares preferidas? Quais são as que ele odeia, ou que obtém suas piores notas?
  17. Seu personagem é introvertido ou extrovertido? Como ele lida quando está na presença de grandes multidões de pessoas?
  18. Ele é um personagem virado para a liderança, ou prefere seguir simplesmente as ordens de alguém superior?
  19. Se seu personagem fosse repentinamente desafiado, ele preferia fugir da briga, resolver a situação com uma conversa pacifica, ou ficar e lutar violentamente?
  20. Se seu personagem fosse autorizado a matar uma pessoa sem quaisquer consequências, quem seria essa pessoa e por quê?
  21. Se seu personagem tivesse a oportunidade de realizar 3 desejos, quais seriam, e porque?
  22. Seu personagem confia nas pessoas logo de cara ou leva algum tempo para conhecer essa pessoa, e logo, criar certa afeição?
  23. Será que ele prefere o romance ou a afeição? Qual é o caminho mais rápido para conquistar o coração do seu personagem?
  24. Seu personagem tem algum inimigo? Se sim, quem e porquê?
  25. Ele tem algum género estranho de hábitos? Algum passatempo incomum? Algum fetiche peculiar?
  26. Qual a rotina que seu personagem tem antes de ir  se deitar? Ele dorme normalmente ou pode ficar acordado por dias sem problemas?
  27. Se o seu personagem tivesse a oportunidade de dizer uma ultima coisa aos seus pais, familiares ou amigos, antes de morrer, o que seria?
  28. Ele tem medo da morte? Ele têm algum arrependimento?
  29. Seu personagem fica inquieto quando as coisas estão muito calmas, ou ele tenta dar uma animada nesse género de ambientes de solidão e silêncio? Como ele reage a locais extremamente agitados (tal como festas e etc)?
  30. Se seu personagem fosse forçado a comer uma determinada coisa pelo resto da sua vida, o que ele escolheria e porquê?


Ao traduzir, alguns novos elementos a certas frases foram adicionados ou adaptados, para clarificar melhor cada questão.

Clique aqui para ver uma 2º Parte desta mensagem, com novas perguntas!
LER ARTIGO COMPLETO!

Ilustrações Oficiais - Um velho amigo dragão...

27 de fevereiro de 2018 |


Apenas testando uma ''nova'' técnica com lápis de cor.
LER ARTIGO COMPLETO!

Ilustrações Oficiais - Um velho amigo dragão... #2

27 de fevereiro de 2018 |

Mais outro desenho aleatório deste velho dragão. Apenas testando algumas técnicas ''novas'' de pintura.
LER ARTIGO COMPLETO!

Peluche de Dreamur - Objetos, Itens ou Produtos

20 de janeiro de 2018 | ,


No meio de arrumações, encontra-se muita coisa que se pode deitar fora... Ou reciclar...


Esta é a história de um cão de peluche, de tecido peludo, que já não era desejado pelas sua antiga e malvada dona. Ao mesmo tempo, ela ficou com pena do bicho, que estava incapacitado, sujo, rasgado... O seu pelo até fora bonito em outros tempos, mas agora estava velho, já não tinha prazer em viver, e já não tinha lugar na casa.
Então, ela decidiu dar-lhe, de algum modo, uma nova vida, ou alguma velha utilidade ao seu belo e antigo pelo, e ai surgiu uma ideia...

Pegou numa tesoura, linha e uma agulha, e dentro de um circulo mágico, com toda a sua coragem, acabou com o atual sofrimento do pobre cachorro...
O seu pelo, e os restos de outras coisas que obteve da arrumação e que já não usava e igualmente, não desejava, foram lavados, e seguidamente, usados como ingredientes principais em um pequeno e demorado ritual, onde recorreu aos poderes de Necromancia, para construir algo completamente novo...


E assim nasceu este Dreamur de peluche!
Um Almôndega Shiny

Já a muito tempo desejava aprender a criar meus próprio peluches pelos mais variados motivos, afinal, reciclar um monte de roupas e coisas velhas que se acumulam e ficam perdidas no tempo lá em casa não é uma ideia má, especialmente se for desta forma artesanal tão interessante e com resultados bem fofos.
Este Dreamur até não ficou nada mal, para a primeira ver que crio meu próprio peluche!
Iniciei perto do verão de 2016, e terminei ano passado, por volta da Páscoa (esse tempo todo foi culpa da preguiça, se eu for juntar e contar os poucos dias em que trabalhei nele, no mínimo sete dias).
Usei restos de tecido, mais roupas velhas, e algodão velho que encontrei para o enchimento.
Originalmente, não retratava nenhuma personagem da obra, sendo considerado uma versão feminina do Almôndega, porém, com meus avanços na escrita, acabei criando uma personagem chamada Shira (personagem mais na categoria de figurante) que segue todas as características deste boneco.

É mais fácil do que parece, e foi uma boa experiência, apesar de demorada, e em certo ponto, acabou um pouco chata, já que foi tudo feito com minhas mãos e sem nenhuma máquina, mas enfim, gostei muito, e pretendo fazer mais daqui para a frente, tanto relacionados com Dreamian, como também com qualquer outra coisa aleatória que vier á minha mente.





LER ARTIGO COMPLETO!

Figura de Félix - Objetos, Itens ou Produtos

19 de janeiro de 2018 | ,

Fiz esta figura do Félix ano passado, devo ter terminado por volta da Páscoa.
Estava com vontade de fazer algo mais ''artesanal'' e ao mesmo tempo, pouco complexo, então fui testando e acabei criando este passarinho lindo com fogo no rabo.
Como materiais, usei massa de modelar comum e quando secou, pintai com tinta. Simples.



LER ARTIGO COMPLETO!

Esboços e Rascunhos - Lanchando com amigos

7 de janeiro de 2018 |

Este desenho era para ser pintado como arte digital, porém, desisti da ideia por um motivo simples: Depois de passar tudo a caneta, não gostei do resultado final. Portando, decidi acabar por não prosseguir com a sua pintura, logo, desse modo, não gastar mais o meu tempo com ele.
Fica aqui a Linework caso algum de vocês, caros leitores, queira aproveitar para criar Fanart, usar como simples desenho para colorir ou, simplesmente, apreciar.
LER ARTIGO COMPLETO!

Aimar Papercraft - Objetos, Itens ou Produtos

22 de dezembro de 2017 | ,

Aqui está um brinquedo/figura de papel do Aimar, um pequeno presente de Natal ''antecipado'' para vocês!


~~~~O que é Papercraft?~~~~
Basicamente, criação de figuras tridimensionais em papel através de dobras e colagem de várias peças e pedaços de papel, semelhante ao Origami. Uns podem ser caixas simples e enfeitadas, outros figuras extremamente complexas e realísticas.
É uma forma interessante de passar o tempo, e de decorar/encher a casa de bonecos de papel fáceis de obter na Internet, das suas personagens favoritas. Uma alternativa divertida caso não encontre bonecos de determinada personagem á venda em lojas.


Modelo
Papercraft do Aimar
Dificuldade Fácil/Média
Este Modelo está dividido em 3 partes, no total, 18 peças individuais.

Eu fiz o seguinte Papercraft inspirada em modelos simples que encontrei relacionados com desenhos animados do Cartoon Network. Fiz só para passar o tempo, e o resultado final acabou interessante, portanto, decidi partilhar. Foi uma experiência demorada, mas divertida.
Futuramente, poderei, ou não, melhorar este modelo, ou criar um Papercraft do género com as restantes personagens.

Clique nas imagens para ampliar e guarde para imprimir mais tarde se desejar.
Ao imprimir, certifique-se que todas as Partes do Modelo foram impressas com o mesmo tamanho, para criar a escala adequada ao encaixe das peças durante a montagem.


Parte 1
Corpo do personagem, as duas orelhas, focinho e o tufo de pelo do focinho (Esquerda).
Barbatana/crista que passa nas costas e na cabeça, e os braços do personagem (Direita).
Parte 2
As quatro Barbatanas do corpo (Esquerda) e as quatro Barbatanas da Cauda (Direita)

Parte 3
Harmónia, o tridente do Aimar (Esquerda), e a sua cauda de peixe/sereia (á direita).



~~~~Instruções e dicas básicas~~~~

1º Tracejado negro - Área simples de dobrar. Em alguns casos (pernas do personagem por exemplo) necessita de colagem para criar um efeito ''frente e verso''.
2º Tracejado vermelho - Área de corte, com o dever de criar uma ranhura para o encaixe de outras peças/abas.
3º Abas Especiais - Depois da peças e suas partes propriamente ditas, dobradas entre si, formando o efeito ''frente e verso'', não cole as abas brancas uma á outra, corte-as pela linha central, separando ambas as abas, mas mantendo sempre as partes da única peças fixas entre si, criando então  uma única peça com ''frente e verso''. As duas abas numa só peça servem para fixar melhor esta peça ás restantes partes do corpo do personagem através da colagem.
  • Para um melhor efeito ou resistência no resultado final, cole os papeis/peças do modelo em cartolina.
  • Comece por cortar todas as peças, dobrar e colar entre si para criar o efeito ''frente e verso''.
  • Na cauda de sereia do Aimar, insira e fixe as barbatanas nas ranhuras antes de dobrar esta pelo tracejado central. Tenha bastante cautela pois o espaço, especialmente na ponta, é apertado. Caso sinta necessidade, corte um pouco mais a aba das barbatanas, diminuindo o seu tamanho.
  • De seguida, recorte as ranhuras a Tracejado vermelho do corpo do personagem. Encaixe nestas os braços, as barbatanas, a cauda e todas as outras peças ao corpo do personagem. Caso a ranhura marcada a vermelho esteja muito pequena para o encaixe das peças, tente aumentar o tamanho desta com cuidado. Por outro lado, algumas abas (As das barbatanas da ponta da cauda, por exemplo) podem ser demasiado grandes quando forem fixas á peça, assim, tente diminuir o tamanho das mesmas, mais uma vez.
  • Para facilitar o trabalho, cole a barbatana/crista que passa pela cabeça e costas, por ultimo, antes de fechar o corpo do personagem por completo.
  • Debaixo dos olhos, na área marcada, cole o pelo, e só depois, o focinho, em cima do tufo de pelo.
  • Finalize ao colar o tridente em algum dos braços, de forma a este suportar o peso do personagem, mantendo ele em pé. Se preferir, tente dobrar e inclinar a cauda do Aimar, para criar um efeito mais elegante.


~~~~Resultado Final~~~~
Este boneco de papel deve ficar semelhante ao seguinte (que é um prototipo do produto final).


Bom Proveito!
LER ARTIGO COMPLETO!

Capitulo 1 - Um Conto da Lua Cheia

8 de dezembro de 2017 |


Uma fortaleza antiga realçava-se sobre um acidentado monte, rodeado por uma longa e alta muralha, que protegia uma vegetação intensa e jardins bem trabalhados, recheados de inúmeras estátuas e fontes de água decorativas, pertencentes aquele tal edifício ancestral.
Entre essas plantas, vários pirilampos reluziam tal como as inúmeras estrelas no céu daquela noite, e aves diurnas sobrevoavam a área, cantando suas doces melodias de verão á luz da lua cheia, quebrando todo o silêncio estranhamente comum.
Aquele era o palácio real, tão sublime como sempre, suas fachadas, suas torres, suas entradas, seus corredores, seus jardins… Aquele era, é e sempre será o lar dos grandes Monarcas de Dreamian, o lar dos grandes governadores, o lar da mais importante família do reino!

Poderosos guerreiros, rondavam a área exterior constantemente, pois serviam e davam toda a sua vida em nome da família real que ali habitava. Naquele turno nocturno, suas vigílias eram bem dedicadas. Vagueavam cautelosos, de um lado para o outro entre as árvores e plantas floridas, rondavam a muralha, suas torres, os pátios e caminhos de pedra exteriores do palácio, bem armados e sérios, em silêncio, em busca de inimigos, usando a luz de poderosas lanternas para combater a escuridão intensa.
A luz encantadora da lua cheia, junto com vários candeeiros antigos de rua bem decorativos, ajudavam nesse dever, pois iluminavam todo o edifício no exterior e grande parte dos seus pátios principais, tornando aquele ambiente de realeza ainda mais celestial.

Todo o palácio parecia repousar, em paz, nenhuma luz estava ligada, as janelas dos quartos e salões elegantes apenas dominadas pelas sombras da noite em contraste com a branca luz da lua, porém, via-se um pequeno brilho salvador numa das divisões.
Naquela hora tardia da noite, uma jovem dama observava, atenciosa, sobre uma das muitas varandas do edifício, o luar, o céu e as estrelas, ela ignorava os guardas nas suas rondas, ou qualquer outra coisa que ocorria no jardim, também ignorava uma paisagem obscura para longínquas montanhas visíveis no horizonte e até mesmo para as luzes de casas e estradas perdidas no meio do negrume que indicava a existência de uma cidade mesmo ali ao lado, distante da muralha.

Aqueles belos olhos, virados apenas para um só lugar, a lua e as estrelas, sua total atenção assente em todo o vasto universo cintilante sobre si. As mãos com leveza estavam apoiadas sobre as paredes da varanda, e seu olhar distante, sempre fixado em tamanho céu nocturno de verão.
Seus cabelos eram loiros, e seus olhos azuis como safiras, ela usava um pijama elegante, era uma roupa branca e dourada muito larga e confortável para passar bem a noite.
A jovem parecia triste, mas o luar sempre a confortava, as estrelas cintilando a alegravam, o cantar das aves diurnas a tentavam embalar para esta conseguir descansar o resto da noite, e tais majestosos sons do negrume misturados e levados pelo vento, pareciam formar uma triste, serena e incógnita melodia que pairava em toda a paisagem.

Quase todos os dias, naquela hora, ela procurava sempre conforto num céu nocturno e num ambiente igual aquele… Durante muito tempo, ela ficava sempre ali, sozinha… Esta era Agnes, a princesa de Dreamian.

Passado muito tempo, cansou-se das suas observações, e, voltou para dentro do palácio.
Entrou no quarto com passos calmos, e sem grandes pressas, fechava e trancava a porta de vidro deslizante e moderna que dava para o exterior, esta que também servia como uma grande janela do quarto e que oferecia uma vista deslumbrante.
O quarto era iluminado por um belo antigo candelabro situado numa mesa cabeceira ao lado de uma antiga cama, ele com suas sublimes chamas tornavam todo o quarto visível, a divisão era digna, riqueza em todos os objectos e decorações: um sofá, várias pequenas mesas, uma secretária bem grande… Modernidades da mais alta qualidade e muitas raridades antigas à mistura, a divisão era toda dotada de um embelezamento de cortar a respiração, além de bastante espaçoso e acolhedor, digno de uma verdadeira princesa.

A princesa dirigiu-se directamente a sua cama, passos serenos e leves, sem grandes observações sobre a riqueza de sua vida. De cabeça semi-baixa grande parte do tempo, sempre com a mesma expressão triste em seu olhar, aproximou-se da cama e observou a mesma, pensativa.
Em cima desta dormia uma curiosa criatura, semelhante e também pouco maior do que um gato, era como uma gigante bola de pelo com uma cauda e duas antenas com um género de losangulo nas suas pontas.

Ela sentou-se sobre os aconchegantes cobertores e acariciou levemente a criatura que dormia profundamente, sorrindo para si mesmo. Fitou-o por algum tempo, até dirigir o olhar em direção á parede, a mesma que continha a porta da varanda. Ao redor desta, alguns retratos de família, uns mais antigos que outros, embelezavam tal parcial parede vazia. Algumas daquelas fotografias, retratavam quatro pessoas, outras, apenas duas pessoas, e pareciam ser fotografias de estremo valor para Agnes, tendo em conta o olhar carinhoso que ela dirigia ás mesmas.

Depois de algum tempo, decidiu parar suas observações, e apagou as chamas do candelabro num gesto gracioso, deitou-se com cuidado ao lado do seu animal. Acariciava com ternura tal bicho inabitual, não se deu ao trabalho de se cobrir, já que isso implicava acordar aquela bola de pelo que, bem descansado, se tinha apoderado da cama inteira.

De repente alguém bate á porta.

- Agnes! Posso entrar? – Disse uma voz, de tom muito doce, Agnes não respondeu, e também não se deu ao trabalho de se alevantar da cama para abrir a porta, e a voz, insistiu - Eu sei que estás acordada ainda! Os guardas viram-te na varanda!
- Entre… - Respondeu ela, finalmente, passado alguns minutos depois de um suspiro, sua voz era baixa e um pouco tímida, ao mesmo tempo calma e doce, mas ouviu-se perfeitamente no silencio da noite.

Uma porta antiga, localizada um pouco longe da cama, no outro lado do quarto, abriu-se, e uma mulher, de idade aparente na casa dos trinta anos, entrou calma. Ligou a luz do teto através de um interruptor moderno e fechou a porta. Manteve-se sorridente, num olhar sincero, parada mesmo ali observando a dama. Suas mãos estavam juntas uma a outra, assentes sobre a barriga como se ela esperasse pacientemente por alguma ordem de alguém superior.

Sua raça não parecia ser humana, pois era muito diferente da princesa Agnes, como características principais esta possuía uma pele coberta por uma camada curta de pelo cor de areia, sua cabeça continha pequenas orelhas e um nariz achatado que lembravam um cervídeo: Era uma Sonnure, uma das espécies humanóides mais comuns do reino de Dreamian.
Seu cabelo curto era da mesma cor que sua pele, e esta também aparentava ter algum peso a mais devido ao tamanho de seu corpo. Usava uma antiquada roupa de mordoma, um pouco velha, suja e rasgada.

- O que deseja, senhora Iara? – Perguntava educadamente a princesa depois de se aperceber quem era a sua pequena visita.

Esta curiosa mulher aproximou-se em passos leves, por onde ela passava ela sempre endireitava algum objeto fora do lugar ou limpava alguma sujidade e lixo visível, afinal aquele parecia ser o seu principal dever. Quando chegou perto da cama, sentou-se sobre a mesma, ao lado da princesa, como se já tivesse permissão para tal.

- Eu só queria… Ver se estavas bem… - Murmurou, e começou a endireitar o cabelo dourado da princesa com gestos delicados.

Agnes simplesmente afastou-se um pouco e não disse nada, mantendo sempre o mesmo olhar deprimente, algum silencio se passou.

- Já vi que não… - Comentou finalmente a mulher, adotando uma expressão um pouco mais séria – Precisas de alguma coisa?
- Não… - A jovem respondeu
- Tens a certeza? – Iara continuava a perguntar e parecia bem preocupada – Queres um copo com água? Tens fome?...
- Eu não quero nada…
- Então… Não consegues dormir?... Estás com frio?... – E continuou a insistir nas suas questões.
- Não… - Agnes respondeu, enquanto virava as costas.
- Deseja no mínimo desabafar? – A mulher continuava, desta vez, num tom um pouco árduo – Já te conheço quando ficas assim… O que aconteceu?
- Será que podias deixar-me sozinha? – A jovem, desse modo, respondeu rude, enquanto continuava abraçada e a acariciar a sua criatura de estimação peluda.
- Ok… Ok… Mas…Ouve bem Agnes, minha querida – Esta mordoma deu um suspiro bem longo – Eu me preocupo contigo. E eu só estou a tentar ajudar…

Novamente, silencio, ela sabia que naquele silêncio estava a sua resposta, e assim, desistiu, preferindo deixar Agnes no seu espaço. Colocou-se em pé e esfregou a mão na sua cara, pensativa, sem saber o que fazer.

A jovem abraçou mais a sua criatura á procura de conforto, a senhora Iara reparou, e não pode deixar de reagir, então com um olhar um pouco maléfico pegou quase num gesto impulsivo, no bicho peludo e o colocou no chão.
Este acordou confuso e abriu sua grande boca com muito sono, esticou seu corpo e sacudiu todo o seu pelo, depois sentou-se no chão, mexendo sua cauda de um lado para o outro, parecia resmungar por lhe terem destruído um bom momento de sono, mirava para ambas as humanas, muito sério, com seus grandes olhos verdes.

- Coitado… - Agnes sentia pena do seu animal enquanto o fitava no chão.
- Diz-me que atitude é esta… O Almôndega em cima da cama? O que seu pai disse sobre animais de estimação a sujar os cobertores?!
- Mas ele estava a dormir tão bem… - Agnes argumentou com uma expressão inocente.
- Eu sinceramente não me importo… Eu amo dormir ao lado de animais… Mas sabes bem que eu estou apenas a cumprir ordens exteriores – Iara deu alguns carinhos na cabeça peluda do pequeno animal, depois, prosseguiu – Sabes perfeitamente o quanto ele odeia ver pelos nos cobertores das camas… Depois quem sofre sou eu, uma das representantes de todas as empregadas do palácio!…

Logo de seguida, a mulher desfez a cama e cobriu a princesa, segurava os cobertores bem calmamente, ela a aconchegava com carinho, mas Agnes parecia não dar grande valor a todo aquele gesto.

- Eu não sou criança nenhuma para… - A jovem começava a resmungar até ser interrompida.
- É o meu trabalho! – A mulher deu um sorriso um pouco irónico, se depois murmurou – Pelo menos agora não vais sentir frio…
- Mas… Estamos no verão, está calor…

A princesa endireitou os cobertores a seu gosto e virava novamente as costas á mulher, que ficava impaciente e pensativa. Iara inclinou seu corpo e deu um pequeno beijo na testa da jovem.

- Um beijo? Eu já disse que… - Começava a comentar, incomodada, até ser interrompida.
- É o meu trabalho! – A mulher deu a mesma resposta de antes, num tom mais sobressaltado – Não importa se és criança ou não, a forma como o amor se transmite entre as pessoas não tem limites! – Argumentou logo a seguir, com um grande sorriso e voz bem serena.

A princesa não disse nada sobre aquele assunto, muito pelo contrário ela pareceu ficar ainda mais tímida do que o usual ao, aparentemente, corar.

- Podes fechar a luz e sair?... - Passado mais alguns breves momentos de silêncio, a princesa pediu, com voz baixa, como se tal fosse um favor - Eu queria tentar dormir…
- Eu posso ajudar… - Iara começou a dar um pequeno sorriso, mais para o lado perverso - Não existe nada melhor que uma boa história para adormecer!
- Uma história… Para adormecer?...
- Um bom livro é a solução para tudo! – Respondeu de imediato com uma gargalhada.

A criatura peluda ergueu logo suas antenas quando ouviu aquela palavra, ‘’livro’’, naquele instante ficou imediatamente sem sono e começou a correr pelo quarto, deixando um pequeno rasto de barafunda, parecia procurar qualquer coisa em tudo o que era canto, até ele chegar a uma estante com muitos livros de variedades incontáveis, pegou em um deles com sua grande boca, e logo em seguida corria e saltava para cima da cama, ele entregava o livro á princesa, esta não recusou, sentou-se e recebeu o presente inesperado.
O objeto estava um pouco molhado e com a capa quase estragada devido á baba e pequenos dentes do animal, a velha Sonnure entregou-lhe logo algum papel para limpar o mesmo, depois de devidamente limpo, Agnes observou a capa da obra.

- Os Dreamurs são seres tão fofinhos e inteligentes, eu só quero apertar um! – A mulher estava encantada com a atitude do animal.
- ‘’Os Maiores Contos de Fadas de Dreamian?’’ Por Gilda Montello – A princesa lia o título do mesmo e a respectiva autora, observava cada detalhe do livro, o seu tamanho e número de páginas.
- Excelente escolha! Sim… Não existe nada melhor para ler antes de adormecer do que um bom conto de Fadas! – Iara argumentou, e de certa forma notava-se alguma ironia em sua voz enquanto aplaudia o gesto do animal. Almôndega sorriu triunfante.
- Estás brincando comigo? – Agnes ficava mais séria que o comum.
- Se não quer, então… Eu já vou buscar outro livro, minha princesa, uma enciclopédia talvez ajude melhor a despertar o teu sono – A mordoma deu uma expressão sarcástica.
- O que?... Nada disso! – Exclamo - É que… Eu não aprecio contos de fadas… - Agnes olhava para o livro nas suas mãos, mais uma vez a sua resposta surgia passando algum silêncio.
- A senhorita que dê uma explicação lógica para isso… - Pediu, enquanto cruzava os braços.
- Eu… Não acredito em finais felizes…

Com aquelas palavras a mordoma ficava de certa forma triste e muito incomodada, ela andava até a principal janela do quarto, aquela que também era uma entrada para a varanda, depois de puxar as cortinas para o lado a mesma permitiu a luzência da lua cheia penetrar naquela divisão do palácio e logo em seguia ela ficou ali, imóvel, apreciando as vistas e a natureza sombria e bela daquela noite.

- A verdade é que nem todos os contos de Fadas tem um final feliz minha querida… São raros os contos assim mas… Tristezas existem sempre….
- Nessa lista de raridades… Está incluída a… Minha vida? – A jovem logo dizia e não deixava a mulher terminar sua frase.
- Eu sabia que ias tocar nesse assunto… Não seja assim pessimista! – A mulher se revoltava, mas logo em seguida deu um suspiro, acalmou-se e virou-se de novo para a janela, ficando a observar o luar - A sua vida ainda não acabou… Ainda tens muito pela frente… Quem sabe uma nova história comesse… Um novo capítulo para a sua vida… Talvez ele esteja mesmo a se iniciar… Neste momento!...
- Duvido… - A princesa dava um suspiro deprimente.

Almôndega estava impaciente com toda aquela conversa para este era chata, Agnes ficava olhando para o livro nas suas mãos e nem o procurava abrir, mas o que o pequeno Dreamur queria logo ler uma boa história. Assim com um gesto rápido ele removeu aquela obra das mãos da princesa, mordeu a mesma, rasgou algumas das folhas, com suas pequenas garras machucou as outras e acabou em determinada página. Ele, de um momento ao outro parou e sentou-se, satisfeito, fechava os olhos e pareceu sorrir, colocava sua pata levemente sobre uma das páginas, a mesma era marcada por um título e aparentemente era o início de um dos contos.

- Não é por nada mas eu acho que tens que controlar melhor ai o Almôndega… - A mulher sorria olhando a sujeira causada pelo animal, mas logo de seguida volta a contemplar a lua e o céu noturno – Ainda bem que eu consigo um novo livro igual a esse muito facilmente…

Agnes pegava naquela velha obra praticamente estragada delicadamente, logo de seguida limpou a pequena sujeira causada, Almôndega queria definitivamente ver a sua dona ler aquele conto, a princesa olhava com curiosidade, em tal página era possível contemplar a ilustração de uma flor, sua espécie lembrava uma túlipa encarnada e agarrada a suas pétalas estava uma pequena bela menina, ao seu lado estava um pássaro grande com lindas penas vermelhas, laranjas e douradas, brilhantes como fogo, e ele estava rodeado por algumas chamas. Aquele era um dos contos de Fadas típicos de Dreamian, talvez um dos menos conhecidos e populares entre as pessoas, mas ao mesmo tempo para muitos um dos mais belos e encantadores…

- Parece que ai o Almôndega também quer ler…  – A mulher sorria.
- Mais… Finais felizes? – Agnes esfolheava as páginas e observava os desenhos, chegando logo á conclusão do conto.
- Faz um esforço, até que os finais felizes podem ser mais interessantes do que imaginas – A mulher dizia continuando a olhar a grande lua brilhante exterior.

O pequeno animal fazia uma expressão fofinha em seu olhar e de certa forma criava um ato de chantagem para a jovem, era como um daqueles pedidos de uma criança para os pais comprarem um brinquedo de que o mesmo deseja tanto. Agnes não resistia á fofura transmitida pelo seu observador, assim o Almôndega a convenceu por fim a ler aquele conto do livro.
A mulher observava ao longe a princesa a começar a ler e esta assim deu um pequeno sorriso, depois voltava a olhar sempre para as vistas da janela, muito pensativa.

- Está uma bela noite… - Comentou para si, a princesa ouviu.
- Sim… - Acrescentou com alguma timidez em suas palavras, ela começava a ler para si mesma, a pedido do seu animal, este observava o mesmo conto com seus grandes olhos verdes, sentado entre os braços da dama e o livro, como se também lesse, ao mesmo ritmo da dona.

- Eu também conheci alguém que não gostava de finais felizes e acabou terminando em um… - A mulher suspirava – Ela também adorava observar a lua e as estrelas em noites iguais a estas… Vocês são… Realmente iguais…
- Quem era? – A princesa perguntava curiosa, mas a mulher decidiu fazer então silêncio, ela fechava os seus olhos e uma lágrima escorria pelo seu rosto, deixando  a jovem sem qualquer resposta.

Agnes então retomou á sua leitura e encarou as páginas do livro, observava de relance cada uma das ilustrações á medida que lia as palavras  do conto,  o seu texto era composto por frases curtas e bem nítidas, sem grandes detalhes. Almôndega também acompanhava a leitura. Típico da maioria dos contos de fadas infantis, Agnes leu todo o texto em menos de dez minutos, mas leu de modo forçado, sem muita atenção, quase como se só passava os olhos nas páginas. Leu praticamente por obrigação.
Depois de terminar a dita leitura, a princesa encarou muito seria a sua mordoma.

- Foi assim tão mau? – A mulher se virava de novo e encarava a expressão da jovem com um ar irónico.
- Mais ou menos… - Agnes suspirava – A Menina e a Fénix… Já li piores…
- Os contos de fadas podem nos ajudar, ensinam lições e valores muito importantes, devias os dar mais atenção e carinho… – Comentou com um pequeno sorriso, que ao mesmo tempo parecia transmitir uma sensação triste - E deixa lá adivinhar… Ainda não tens sono?
- Por acaso agora tenho…
- Eu disse que ia funcionar! Ler uma história funciona sempre! – Exclamou enquanto Agnes arrumava delicadamente o livro na sua mesa cabeceira, se endireitava entre os cobertores e bocejava - Bem… Então é melhor eu ir andando… - Depois de reparar no sono da princesa e de contemplar a lua e o céu brilhante uma última vez, endireitou as cortinas da janela e começava a se retirar do quarto, até ela chegar á porta – Durma bem… Amanha é o primeiro de muitos dias longos que vem ai…
- Dias longos?... – Agnes olhava um pouco assustada para a velha Sonnure.
- Sim… Tens que acordar cedo para as aulas com a sua tia, vão ser importantes…
- Aulas… Tia?... – A princesa ficava ainda mais assustada que antes.
- Sim! Não se lembra?... Amanha… É… Segunda feira.

Depois de tais palavras caírem sobre si, Agnes bateu rapidamente com a sua mão na sua cara.

- Eu… Esqueci completamente! – Ela demonstrava uma grande atitude de frustração.
- Como é que ela se esqueceu da altura do ano que ela mais odeia? – A mulher dizia para si mesma enquanto fazia uma pose dramática, porém, a jovem não entendeu, e depois a Sonnure continuou - Na próxima semana é a tua primeira Reunião do Concílio… Temos que iniciar tudo com antecedência e a tua tia tem que te ensinar muitas coisinhas ainda extremamente… Importantes…
- Foi nesta altura do ano que… Aconteceu aquilo… - A princesa suspirava, mais deprimente, a mulher fechava os seus olhos e baixava a sua cabeça como sinal de respeito.
- Mudando de assunto… Devo avisar que, como vais completar os quinze anos, o seu pai achou que naquela reunião que ocorrerá daqui a uns dias, bem…- A mulher engoliu em seco, e pareceu evitar querer dizer tais seguintes palavras - Devias conhecer alguns príncipes…
- Príncipes? – Agnes realçou sua voz ao questionar o que acabara de ouvir..
- Eu sinceramente não entendi… Mas talvez já imaginas os motivos certo? É algo muito previsível…  - Transmitiu um alto sorriso sarcástico ao dizer tais palavras.
- Eu não acredito… - Agnes pareceu pensar em algo que lhe fez ficar um pouco furiosa e assim resmungava para si mesma, a mulher não entendeu suas palavras mas observava atenciosamente aquele comportamento estranho da jovem dama.
- Eu sabia que ela ia odiar esta novidade… - A mulher virava a cara e murmurava seu pensamento, depois voltou a olhar a princesa – Como vê, amanhã vai ser um dia… Digamos… Um pouco terrível… O primeiro de muitos ainda piores que vem ai… É melhor logo adormeceres… Boa noite minha querida… Fique bem… - A mulher despediu-se, enquanto fechava a luz e saia do quarto calmamente.


Agnes não respondeu nada e abraçou a sua criatura peluda como se ele fosse um grande boneco de peluche. Depois de observar a mordoma sair, permaneceu algum tempo a encarar a escuridão. Fechou levemente seus olhos, e novamente tentou concentrar-se em ouvir as melodias exteriores, os pássaros da escuridão, e dessa forma não tardou muito tempo até ela finalmente adormecer embalada pelos misteriosos sons da noite…

LER ARTIGO COMPLETO!